Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Toca do Coelho

A mascar o pensamento à sombra calma da luz irrequieta.

Toca do Coelho

A mascar o pensamento à sombra calma da luz irrequieta.

26/02/16

Sobre a Bíblia e a Existência de Deus

por Olavo Rodrigues

Há muitas teorias acerca de quem ou o que nos criou a nós e ao resto. Uns chamam-lhe Deus, outros Ciência, Alá, Buda, e.t.c. O que é certo é que ninguém tem provas que afirmem com toda a certeza que determinada teoria se apresenta como a derradeira resposta, portanto, cada um escolhe uma crença que deve ser respeitada pelos demais.
No meu lado co-habitam duas - a de uma entidade muito mais evoluída do que conseguimos imaginar e algumas teorias científicas que se ligam ao respectivo ser. Por exemplo - eu não acredito que o Big Bang e a evolução a partir dos símios hajam sido um feito do acaso, não concebo que tal seja possível, há que existir sempre uma mente atrás de cada projecto.
Não sigo nenhuma religião em particular, eu simplesmente formulo pontos de vista sobre o que vejo e o que me é mostrado, orientando-me apenas por mim mesmo. Também gostava de alertar que não pretendo fazer ninguém mudar de ideias, aquilo que aqui vou relatar é a minha opinião e a minha opinião.

A primeira coisa que eu considero fundamental que seja destacada é o facto de que ninguém deve levar a Bíblia à letra. Esta foi escrita trezentos anos depois de Cristo e já foi rescrita e traduzida milhares de vezes até aos dias de hoje. Foi sem dúvida usada para fins eticamente erróneos, mas a sua função inicial não é nem nunca foi essa, os poucos letrados que existiam antigamente é que a usavam para o mal.
A Bíblia é na verdade, para além de uma grande fonte de ensinamentos morais, um óptimo livro científico. Muitos especialistas da Ciência estudam-na para progredir nas suas investigações.
O imenso conhecimento lá depositado está codificado porque se virmos bem, há muitos séculos atrás, a humanidade não estava preparada para uma grande complexidade. Todo o conteúdo bíblico foi redigido de uma maneira simplificada de modo a facilitar a compreensão do mesmo.
É exactamente como a história da sementinha que se conta a uma criança pequena para ela ter uma noção da reprodução. Analisemos o exemplo de Adão e Eva.
Segundo o livro sagrado, Eva foi concebida a partir de uma costela que Deus retirou de Adão. Aqui está presente a clonagem! Os cientistas descobriram que as costelas são as únicas partes do corpo que contêm todos os ingredientes necessários para se clonar com êxito. É claro que tal não é feito com regularidade por questões de ética... Pelo menos é o que se transparece. Então e a arca de Noé?
De acordo com a Bíblia, Deus extinguiu praticamente toda a vida na Terra devido à tremenda falta de amor entre os humanos. Por esta razão, pediu a Noé que construísse uma arca gigantesca na qual coubesse um casal de cada espécie animal.
Prezados leitores, temos dez anos para abrandar os estragos que fazemos ao planeta, caso contrário, iremos sofrer e muito. Mas o processo parece estar a ser lento, pelo que também é bom pensarmos em alternativas.
Alguns especialistas já estão a planear construir um armazém espacial enorme para nele porem amostras de ADN de diversas formas de vida. Assim, quando ou se chegar a hora de darmos descanso à nossa casa, poderemos reproduzir noutro lugar a biodiversidade existente no nosso planeta nativo.
A meu ver, a Bíblia é magnífica, porém, não deve ser lida em qualquer altura da vida, há que possuir uma certa maturidade. Eu pessoalmente, nunca a li e não vou fazê-lo tão cedo.
Bem, li uma versão adaptada a crianças que a minha mãe me comprou na minha infância, contudo, embora soubesse que era algo sério e de grande consideração, não conseguia deixar de a ver como um almanaque de histórias literárias.
Estando isto esclarecido, sim, eu acredito em Deus e acho que Ele tem um propósito para nós, que é a evolução. Se repararmos bem, quando a Bíblia menciona que o Criador nos fez à sua imagem, não pretende abranger o aspecto físico, até porque a meu ver, Deus não possui tal coisa. Nem sequer sei por que motivo lhe chamamos "Ele" se a sua natureza é composta por energia e amor. O/A nosso/a Pai/Mãe não é um velhote de barbas brancas.
Ao afirmar que fomos concebidos à imagem de Deus, o livro sagrado quer dizer que somos parte d'Ele, que à Sua semelhança, possuímos a capacidade de pensar e de distinguir o bem do mal. Tal como Ele podemos ser lógicos, criativos, bondosos, solidários, e.t.c.
Mas daqui surge uma questão frequente - " se Deus existe e é o amor personificado, por que permite as guerras e o sofrimento?"
A humanidade faz-me lembrar aqueles miúdos rebeldes que por muito que oiçam dos pais, só aprendem com as suas próprias cabeçadas. Pessoal, por muito bons que sejam os conselhos dos nossos pais, não temos melhores professores que nós próprios. Os seres humanos já cometeram os mesmos erros milhares de vezes, só sofrem por pura teimosia. Quantos conselheiros já não nos enviou Deus? - Moisés, Noé, Jesus Cristo...
Por que não é Ele que comparece? Bom, na minha mais simplória opinião - porque não precisa nem tem de o fazer. Enviar conselheiros é benéfico para os mesmos, pois fomenta a sua própria evolução, funciona mais ou menos como uma maneira de enriquecer o seu "currículo espiritual". Aliás, Deus já enviou esses mesmos pregadores, já escreveu os Dez Mandamentos, pediu que a Bíblia fosse escrita... Então e o nosso esforço?
"Se Deus existe, qual é o motivo de tantas injustiças sem explicação, tais como doenças mortais?"

Por muito cruel e contraditório que possa parecer, o/a nosso/a Pai/Mãe fá-lo pelo nosso bem. Deus não é vingativo, não provoca atrocidades sequer. Muitas doenças são geradas por micro-organismos, que como nós, necessitam de sobreviver. Provavelmente, tal como nós matamos um porco para comer, eles fazem-nos adoecer para manter a sua subsistência. Ou então, é um método de defesa, vêem-se num ambiente desconhecido e causam estragos.

O que quero significar com toda esta conversa é que a maior parte (senão mesmo tudo) do que acontece neste mundo é pura e simplesmente obra dos seus habitantes. O Senhor podia arranjar uma forma de todos vivermos em paz. Podia, pois, mas nós daríamos valor? Seríamos como as crianças mimadas que recebem tudo de mão beijada, mas que fazem uma birra se os seus responsáveis não lhes comprarem mais um brinquedo para a sua colecção de milhões... Que não utilizam!

As barreiras são imprescindíveis para a valorização da felicidade, o equilíbrio não existe sem opostos. Não há nada na vida que Deus não nos ofereça com carinho, inclusive perdê-la. Se somos retirados da Terra, das duas uma - ou já completámos a nossa missão ou não tivemos cuidado. 

"Mas que fiz eu a Deus para ser pobre?"  Nada. Rigorosamente nada. Não prejudicou Deus, mas sim a ele próprio.

Talvez noutra vida, este indivíduo tenha sido um rico arrogante que agora está na pele do outro lado para assimilar os seus erros. Se não for um problema de humildade, era possivelmente alguém muito protegido pelos pais, o que o privou de conhecer a independência... As razões perdem-se de vista. 

Sinceramente, na minha opinião, apontar o dedo ao nosso Criador é como fazê-lo a outra pessoa qualquer, creio que primeiro devemos analisarmo-nos. a nós próprios. Deus ama-nos incondicionalmente e merece o mesmo de nós. 

Mais sobre mim

imagem de perfil

Estatísticas Detalhadas

UA-77383280-1

Arca

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Subscrever por correio electrónico

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.