Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Toca do Coelho

A mascar o pensamento à sombra calma da luz irrequieta.

Toca do Coelho

A mascar o pensamento à sombra calma da luz irrequieta.

15/01/16

A Atlântida - Introdução

por Olavo Rodrigues

O conhecimento está a abarrotar de mistérios! Eu concordo com Sócrates, só sei que nada sei. Mas é precisamente isto que faz com que aprender seja tão fascinante!

Este tema é um pouco controverso, não é amplamente falado, mas na minha óptica, tem sentido. Faltam algumas peças importantes à História da humanidade como é o exemplo das pirâmides do Egipto.

Actualmente, não existe nenhuma explicação concreta que elucide a construção destas. Nem um bloco de pedra em particular, que pesa duas toneladas e meia, pode ser carregado por cinquenta homens e arrastado ao longo de centenas de quilómetros para por fim, ser empilhado a 137 metros de altura com uma precisão que ainda escapa à tecnologia moderna. Se analisarmos fontes que aparentemente se revelam absurdas, talvez seja possível concebermos reflexões para determinadas questões. Nem tudo o que é absurdo, o é realmente.

A arqueologia tem feito descobertas revolucionárias no que diz respeito ao passado da nossa espécie. Cidades antigas como a Babilónia, Erech e Acácia são abrangidas na Bíblia e noutras escrituras antigas, porém, sempre foram consideradas mitos por não haver provas da sua existência.

Até que uma foi encontrada, criando uma sequência de encontros com outras ex-civilizações. Dentro de uma das cidades havia cilindros de argila que denunciavam o uso da escrita cuneiforme, todos eles omitidos nas entranhas da terra.

Os documentos oferecem informação que remonta a milhares de anos atrás, relatando a História do planeta e da humanidade com um grande luxo de pormenores.

O primeiro pensamento que nos surge é que os antigos inventaram tal informação, movidos pela necessidade de esclarecimentos. Todavia, se assim é, como se pode explicar que sabiam tantas coisas sobre assuntos que parecem ser impossíveis de conhecer e que ainda hoje dão a volta à cabeça de muitos especialistas?

No caso dos Dogons, eles sabiam bastante sobre os planetas distantes do sistema solar. Os sumérios são outro exemplo, uma vez que descreveram os mesmos detalhadamente. Como podiam ter noção dos equinócios? São precisos 2000 anos de observação para aprender que ocorre o referido fenómeno na Terra. Os sumérios sabiam disto desde o primeiro dia da sua civilização.

Um indivíduo de nome Zacharia Sitchin passou uma eternidade a traduzir a informação e pô-la nos seus livros (Os Reinos Perdidos; Génesis Revisto - As Provas de que os Extraterrestres Estiveram entre Nós; O Código Cósmico; O 12º Planeta; As Guerras de Deuses e Homens; A Escada para o Céu para Atingir a Imortalidade).

Muitos fizeram o mesmo e as interpretações não divergem grandemente.

A espiritualidade diz-me muito, dado que acredito que já fomos melhores do que hoje em dia em diversos aspectos, decrescemos porque inicámos a desvalorização do amor. É difícil aceitar algo como verdade por muito ardentemente que eu o deseje, a incerteza é um dos algozes mais frustrantes que nos perseguem. Por muitas "coincidências" que se encontrem, sentimos sempre a necessidade de ver para crer. 

Contudo, uma coisa é concreta: em todo o mundo estão a nascer crianças com capacidades assombrosas que vieram com o propósito de alterar a estrutura da mentalidade colectiva. Não podem ser obra do acaso.

É porque creio que há muito mais para além daquilo que vivemos e porque somos capazes de reaprender o que perdemos, que trago ao meu cantinho um conjunto de artigos sobre um passado que desafia os limites nulos da imaginação. Eu não digo para acreditarem nisto, façam como eu, reflitam e retirem as vossas próprias conclusões. 

 

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=4x3Fn7F-Qbk

 

 

Mais sobre mim

imagem de perfil

Estatísticas Detalhadas

UA-77383280-1

Arca

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Subscrever por correio electrónico

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.